Início » Prefeitura entrega  Centro de Tratamento Oncológico para atender pacientes do SUS no Hospital Santa Izabel

Prefeitura entrega  Centro de Tratamento Oncológico para atender pacientes do SUS no Hospital Santa Izabel

por Redação

A Prefeitura de Salvador entregou nesta sexta-feira (24) o novo Centro de Diagnóstico e Tratamento Oncológico Adulto para atender exclusivamente a pacientes via Sistema Único de Saúde (SUS), dentro das instalações do Hospital Santa Izabel (HSI), em Nazaré. A estrutura foi inaugurada pelo prefeito Bruno Reis e por Ana Paula Matos, vice-prefeita e secretária de Saúde (SMS) do município. A nova unidade aumentará em 30% a capacidade de atendimento do local.

A obra foi fruto de um convênio firmado entre a administração municipal e a Santa Casa da Bahia, instituição gestora do HSI. O novo centro possibilitará assistência integral, resolutiva e acolhedora aos pacientes em tratamento do câncer na capital baiana, prestando serviços ambulatoriais e de alta complexidade. O investimento foi superior a R$3 milhões, recursos destinados pela Prefeitura.

“Aqui serão atendidos pacientes que são regulados pelas nossas unidades de saúde. 100% dos pacientes virão dos bairros de Salvador, de pessoas que procuram os nossos postos de saúde e necessitam de tratamento oncológico. Elas virão para cá, onde receberão um tratamento humanizado, de qualidade, realizado por especialistas na área e por uma instituição renomada e de relevantes serviços prestados, como é a Santa Casa. Tenho certeza que, com isso, estamos levando uma oferta ainda maior de serviços para a população e ajudando a salvar vidas”, afirmou Bruno Reis.

Antes da obra, a unidade hospitalar contabilizava 2 mil atendimentos mensais numa área de 200 m². Para realizar os exames demandados, os pacientes tinham que percorrer diferentes prédios do hospital. Agora, com o novo centro de tratamento oncológico, de 600 m², a rotina passa a mudar, já que a estrutura poderá receber pacientes num só lugar, proporcionando mais rapidez e precisão diagnóstica.

Ana Paula Matos destacou que a capacidade de atendimento aumentará em 30%. “Mas, sobretudo, a qualidade desse atendimento melhora. Porque, antes, as pessoas tinham que ficar correndo de um lado para o outro e lidar com muitas questões. Agora, vão estar aqui, num centro humanizado, organizado, com maior capacidade de atendimento. A Santa Casa presta um serviço belíssimo. O nosso Hospital Municipal é gerenciado por eles e é o tempo inteiro elogiado pelos pacientes. Essa forma de gestão conjunta é uma forma de gerir bem o recurso público, de descentralizar, possibilitando que, aquele que tem a melhor condição de prestar o serviço, o faça”, afirmou a vice-prefeita.

Atendimento – Com a nova estrutura, novos serviços serão ofertados para a população, como um novo núcleo de tomografia computadorizada e um novo núcleo de ultrassonografias. O espaço também concentra laboratório de análises clínicas e oferece PET-Scan – exame de diagnóstico para identificar precocemente o câncer e analisar a evolução de algum tumor.

O provedor da Santa Casa, José Antônio Rodrigues Alves, destacou que a Prefeitura de Salvador é uma das poucas do Brasil que oferecem o PET-Scan. “Num mesmo local, o paciente terá o atendimento oncológico, ele vai ter todo o apoio para diagnóstico, desde a tomografia até a ultrassonografia, passando também pelo laboratório de análises clínicas. E, nesse mesmo prédio, ele vai ter todos os especialistas dando o suporte para o seu tratamento”, afirmou.

“Então, o mais importante é que esse paciente será atendido de uma forma muito mais confortável. Além disso, ele não precisará vir aqui para marcar nada. Ele marca por meio de um sistema dentro dos postos de saúde e, assim, terá acesso à nossa unidade hospitalar. Essa é uma missão nossa: integrar o atendimento num só local e com uma dinâmica inteiramente nova”, completou José Antônio Rodrigues Alves.

O espaço também chega para aumentar a oferta de microcirurgias no aparelho abdominal, permitindo acompanhamento de cirurgias de forma virtual, treinamento de equipes à distância, além de educação continuada junto aos postos de saúde e prontos atendimentos para pacientes que precisam de cuidados paliativos.

Veja também